Friday, July 08, 2005

O canto do cisne (from arauxo.blogspot.com)

http://arauxo.blogspot.com/

O canto do cisne

Aqui fica uma nota de pesar pela extinção do Ballet Gulbenkian, que incluiu em acertada justiça poética nas suas últimas apresentações uma coreografia de Clara Andermatt intitulada O Canto do Cisne.Observado o luto é preciso que se diga que esta é uma decisão a que não será alheia a noção do dever cumprido, quanto mais não seja em anos de serviço, e que decorre da modernização e esclarecimento do modelo de intervenção que o colosso que se instalou em Portugal em 1953 procura para na actualidade prosseguir os fins "caritativos, artísticos, educativos e científicos" a que se obriga estatutáriamente. É que as funções que a FCG veio preencher em 1965 neste deserto cultural transformaram-se, passados 40 anos e num meio cultural entretanto desenvolvido por via mesma da sua acção educativa, em disfunções sérias, nomeadamente ao nivel da substituição e duplicação de obrigações e responsabilidades (até de representação) que são nestes moldes exclusiva competência do Estado e de que o Estado, entretanto capacitado, se tem desde há muito demitido ou cumprido apenas parcialmente. A extinção do Ballet Gulbenkian vem restituir ao Estado responsabilidades acrescidas na Companhia Nacional de Bailado ou outra formação que surja a preencher o vazio na dança contemporânea, espera-se que como é hábito dos nossos governantes na area da cultura imitarem em tudo o modelo da fundação não estejam pelo contrário já a preparar extinções em série. Esta nova "filosofia de intervenção" vai inevitavelmente estender-se mais cedo ou mais tarde à orquestra, é uma pena, só podemos esperar que seja mais tarde do que mais cedo.

2 Comments:

Anonymous Anonymous said...

A extinção do BG é uma questão que diz respeito a todos e não apenas a alguns que, temporariamente, têm o poder de decidir.
Respeitem a vontade do público.

3:20 PM  
Anonymous Anonymous said...

Tristeza ... é o que eu sinto.
Depois de ter trabalhado 38 anos nessa Casa, assisto, dia a dia, ao desfazer de uma Obra ímpar em Portugal.
O Ballet não será o último, assim como não foi o primeiro.

O meu grande e sincero abraço de solidariedade aos meus ex colegas: bailarinos, pessoal do palco, massagista, costureiras, pianistas, e todos mais que foram vítimas desta incrível medida.

Porque à outra grande vítima - Portugal e os portugueses - nem sei o que hei de dizer ...

3:33 PM  

Post a Comment

<< Home