Friday, July 15, 2005

"Ministra da Cultura admite viabilizar [BG] com fundação e câmara"


http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1228298&idCanal=40

Do Público de hoje


Administração da fundação diz que é irreversível
Ministra da Cultura admite viabilizar Ballet Gulbenkian com fundação e câmara
15.07.2005 - 15h43 Lusa

A ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, admitiu hoje apoiar um projecto de viabilização do Ballet Gulbenkian, em parceria com a Câmara de Lisboa e a fundação.
Comentando o anúncio de ontem do presidente da Câmara de Lisboa, de que vai propor conversações com o conselho de administração da Fundação Calouste Gulbenkian para encontrar uma solução que preserve o legado do Ballet, Isabel Pires de Lima adiantou que irá aguardar por contactos, desde que envolvam a fundação.
"Aguardo que a Câmara Municipal de Lisboa, em articulação com a Fundação Calouste Gulbenkian, contacte o ministério, se assim o entender, no sentido de se estudar alguma solução", prometeu a ministra.
"Estou a saber dessa iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa pela imprensa, que não é propriamente o meio mais normal", afirmou Isabel Pires de Lima, à margem da cerimónia de colocação da primeira pedra do Centro de Interpretação de Aljubarrota, em Porto de Mós.
Afirmando que "o ministério está aberto a ouvir as propostas que, porventura, a Câmara de Lisboa em articulação com a fundação, tenha a fazer", a ministra salientou, no entanto, que qualquer solução para o problema "não pode ser uma decisão precipitada".
A fundação anunciou em comunicado, no passado dia 5 de Julho, a decisão do conselho de administração de extinguir o ballet, no âmbito de uma reestruturação e face ao novo enquadramento da dança em Portugal.
Quarta-feira, Rui Vilar, presidente do conselho de administração, afirmou aos jornalistas que esta decisão foi "unânime" e era "irreversível". Neste mesmo dia, ao final da tarde, um grupo de cidadãos protestou contra esta decisão nos jardins da sede da fundação, em Lisboa.Ontem, numa nota do seu gabinete, Pedro Santana Lopes afirmou que "os poderes públicos não podem assistir com indiferença ao desaparecimento de todo um património de excelência que deve ser preservado, incentivado e devidamente enquadrado".
Declarando "respeitar" a decisão da fundação de extinguir o Ballet Gulbenkian, o autarca anunciou querer encetar conversações "no sentido de tentar encontrar uma solução".
O comunicado adianta que nos últimos dias Santana Lopes "desenvolveu vários contactos exploratórios para estudar a viabilidade desta decisão nos planos artístico, financeiro e organizacional, estando agora disponível para conversações" com o conselho de administração da Fundação Gulbenkian

3 Comments:

Blogger rajodoas said...

Venho comunicar a minha solidariedade
para com a vossa luta. É lamentável a todos os títulos que o actual presidente tenha tomado esta decisão que não é mais como escreveu e muito bem um colega bloguer o "Hammer" a amputação de um dos membros
da Fundação. Mais lamentável ainda porque se trata de acabar com uma actividade cultural que a enobrecia.
A irreversibilidade já anunciada desta decisão não deixa de ser outra atitude
criticável.

8:10 PM  
Anonymous Anonymous said...

To say that te closure of Ballet Gulbenkian is a huge dissapointment is the understatement of the century.

A cultural institution, an iconic dance company, the company that most dancers and choreographers can only dream about- what a loss for the dance community and for the world.

As a member of the most underappreciated artform in Canada, I must admit that yet another company closure is (unfortunately) not surprising anymore. But for the culturally rich country of Portugal to make such a decision is mind-blowing. Is globalization killing yet another country's cultural integrity?

Because that is what it is-integrity- a respect for your country's identity, heritage and innovative spirit. Dance is the most accessible artform to promote a country's identity to the rest of the world. Dancers represent a nation's most effective cultural ambassadors.

Portugal might as well stop producing and exporting wine...!

With my heartfelt wishes to the dancers who, once again must bear the brunt of a heartless bureaucracy's decisions- keep on pushing. The dancers of the world are with in your struggle.

Neelanthi Vadivel
Montreal, Canada

8:07 PM  
Anonymous Anonymous said...

intiresno muito, obrigado

11:22 AM  

Post a Comment

<< Home