Thursday, July 14, 2005

... 1ª página do Publico...

3 Comments:

Anonymous Anonymous said...

12 Julho 2005
As declarações que Teresa Patrício Gouveia, administradora da fundação Gulbenkian e responsável pela "extinta" companhia de bailado, no seu frio discurso prestado ao diário "Público" de 11 de Julho, não só demonstram uma ignorância absoluta do panorama da dança nacional e internacional, como um desconhecimento total do trabalho artístico e educativo da sua própria companhia de dança na mesma área.

É completamente ridículo colocar em questão o papel do Ballet Gulbenkian perante as "necessidades actuais na área da dança" enquanto o estado português se empenha tão pouco nessa área, e logo afirmar que a extinção da orquestra ou do coro está fora de questão, enquanto estes últimos apostam na divulgação de Mozart, Tchaikovsky e parecidos, que pouco precisam da intervenção da Gulbenkian na popularização das suas obras, pelo que no panorama nacional da música existem tantas orquestras que se dedicam à divulgação deste mesmo reportório.

Não me parece impossível, nem difícil, para uma fundação tão prestigiada e poderosa, poupar-se da vergonha que adquiriu com a referida extinção, encontrar soluções internas, restruturando a missão do Ballet Gulbenkian como instrumento de intervenção da fundação, salvando e aproveitando o seu renome internacional, a excelência dos seus intérpretes e dos seus 40 anos de património.

Não se pode conceber essa extinção senão como uma mera falta de visão para o futuro da dança portuguesa. O ballet Gulbenkain não é só uma companhia de reportório que ofereceu a todos nós aquilo que o estado nunca se empenharia em oferecer ao público, mas também uma companhia que actualmente estava a fazer exactamente aquilo que a Dr.ª. Gouveia defende que a fundação pretende fazer no seu plano "inovador" na dança.
Não se pode ignorar o facto do que esta companhia foi desde sempre a estufa de onde nasceu uma parte esmagadora dos coreógrafos nacionais de hoje.
Portanto, quem diz extinção do ballet Gulbenkian, diz e assume extinção do futuro. A árvore morrerá pela extinção das raízes.

Não se percebe como uma fundação que se pretende "cultural" pode tomar uma decisão tão anti-cultural, e ainda pior, tratar os seus próprios artistas duma forma tão inculta e bárbara.
Como é possível abusar tanto do poder político e financeiro, e acabar numa anunciação abrupta e impessoal, 40 anos de desempenho exemplar de seres humanos que dedicaram a sua vida à fundação e ao país, e não de funcionários passageiros que executam o seu trabalho sem qualquer amor ou humanismo relativamente à arte?

Não se percebe qual era a urgência. Nem se percebe quais os perigos previstos se o conselho administrativo da fundação deixasse ao público pelo menos uma oportunidade digna e cultural para se despedir duma companhia que tanto apreciava.
A relação que o Ballet Gulbenkian criou com os seus admiradores durante anos e anos parece estar a ser completamente ignorada, prova duma falta de respeito pelo público, e pior talvez, de políticas medonhas de terror "a la maniére" do estado novo.

Além da lacuna que a extinção vai criar na dança nacional, a fundação, por esse acto, está a prestar um óptimo serviço negativo para essa arte, agravando a marginalização dela entre as outras, e prejudicando todos os profissionais da dança deste país, senão da comunidade internacional da dança.
É que a fundação, que era um modelo exemplar de pioneirismo na maneira de gerir dignamente e valorizar uma companhia, os bailarinos e o seu público, demonstra hoje ao mundo como se devem tratar os profissionais da dança. É que afinal essa companhia nem um funeral merece…

A vida é dinâmica, e as instituições também, nisso concordo com a Dr.ª. Gouveia. Porém, parece-me que o humano continuará sempre humano, independentemente da inumanidade das suas máquinas executórias.

(Admirador do Ballet Gulbenkian há 30 anos).

3:03 PM  
Anonymous Mikko Nissinen, Artistic Director, Boston Ballet said...

It is extremely regretable that this decision has meant the demise of an important arts organization and I send my support of Ballet Gulbenkian. The dance world must remain as strong as possible, to ensure the art form lives on.

3:23 PM  
Anonymous McClaymore said...

Lamento profundamente. Acho que mais uma vez, a mesquinha e tacanha maneira de pensar de alguns, o mercantilismo que está por detrás da tomada de decisões de outros, demonstra bem quanto "pequeninos" somos. É nestas alturas que tenho vergonha de dizer que sou português.

1:42 PM  

Post a Comment

<< Home